Primeira Edição do “Prémio José Guardado Moreira”

 
A parceria tripartida protocolada entre a Cáritas Diocesana de Portalegre/Castelo Branco, o Instituto Politécnico de Castelo Branco e a Editorial Cáritas – Cáritas Portuguesa, procedeu, no passado dia 18 de janeiro, via on-line, através do júri constituído pela Prof.ª Dr.ª Maria João Guardado Moreira (em representação da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco), pela Dr.ª Maria Fátima Santos (em representação da Cáritas Diocesana de Portalegre/Castelo Branco) e pelo Prof. Paulo Neves (em representação da Editorial Cáritas – Cáritas Portuguesa), à avaliação dos trabalhos a concurso no âmbito da Primeira Edição do “Prémio José Guardado Moreira”, referentes aos anos de 2019 e 2020.
Recorde-se que, de acordo com o Regulamento deste Prémio, pretende-se premiar “o melhor trabalho de mestrado na área social” (Trabalho de Projeto ou Estágio de Natureza Profissional com Relatório Final/Dissertação), “desenvolvido pelos alunos da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco”; “estimular a inovação e a criação de conhecimento que contribua para o aprofundamentoe consolidação desta área de investigação”; e “proceder à divulgação de trabalhos de elevada qualidade”.
Este Prémio “consubstancia-se na publicação, em livro, da tese selecionada”, e na apresentação do trabalho “num evento público, na forma de comunicação oral”, sendo ainda atribuído “ao orientador/orientadores do Trabalho de Mestrado um Diploma de Mérito”. Segue-se, pois, a edição em livro do trabalho vencedor e o agendamento da respetiva sessão de apresentação, a decidir, de forma conjunta, para o momento mais oportuno.

 
O júri decidiu por unanimidade premiar nesta  Primeira Edição do “Prémio José Guardado Moreira” o trabalho:
  • Representações sociais de género e violência em contexto familiar: um estudo com mulheres idosas de meio rural no Concelho de Castelo Branco, desenvolvido no âmbito do Mestrado em Gerontologia Social, da autoria de Maria João Oliveira Guerreiro de Carvalho.
O Júri decidiu ainda atribuir uma Menção Honrosa aos seguintes Trabalhos:
  • Integração e inclusão escolar de alunos cabo-verdianos no 1ºCEB: Estudo de Caso num Agrupamento de escolas da Amadora, no âmbito do Mestrado em Intervenção Social Escolar – Ramo Crianças e Jovens em risco, da autoria de Ulisses de Jesus Costa Duarte;
  • A Promoção da Autonomia em Adolescentes acolhidas na CIJE- Estudo de Caso, no âmbito do Mestrado em Intervenção Social Escolar – Especialização em Crianças e Jovens em Risco, da autoria de Joana Milene Nascimento Gomes; e
  • Necessidades das famílias cabo-verdianas de crianças com NEE no 1.º CEB em Portugal, no âmbito do Mestrado em Educação Especial – Domínio Cognitivo e Motor, da autoria de Nilce Maria Ramos Évora.
De referir, por fim, que esta é a primeira edição deste Prémio, desejando-se que seja a primeira de muitas e que corresponda a uma mais valia para todas as entidades envolvidas.