Venda de Azeitona da ESACB

As propostas para a colheita de 2022, devem ser dirigidas ao Exmº Sr. Diretor da ESACB, e entregues no serviço de expediente da ESACB, até às 12:00 do dia 02 de novembro de 2022, sendo a abertura publica das mesmas feita no mesmo dia, pelas 12:15 pela Direção da ESACB.
 
Condições gerais:
 
Olival em processo de conversão para agricultura biológica. Não foram realizados tratamentos fitofarmacêuticos no ultimo ano. O olival pode ser visitado todos os dias uteis em articulação prévia com a ESACB para acompanhamento da visita.
 
Deve ser garantida a salvaguarda da integridade do olival, com vista a não prejudicar as árvores existentes, sob pena de indemnização do IPCB pelos danos causados.
 
A colheita é da total responsabilidade da empresa proponente, devendo ser feita em momento oportuno para que seja maximizada a qualidade e quantidade do produto a obter, sendo o momento da colheita definido em articulação entre o proponente e a ESACB.
 
A colheita pode ser realizada de modo mecânico e/ou manual, desde que seja garantida a colheita da totalidade do olival, em condições de ser colhido.
 
O processamento da azeitona para azeite deve ser feito em lagar com possibilidade de separação da produção de azeitona da ESACB e posterior separação do azeite. Deve também possibilitar e garantir o processo de certificação de azeite em modo biológico.
 
As propostas podem conter dois modelos de pagamento para avaliação pelo IPCB/ESA. Uma possibilidade de entrega de percentagem de azeite para o IPCB em função da quantidade colhida e outra modalidade na aquisição da totalidade da azeitona colhida, sendo pago o valor total por kg de azeitona colhida.
 
O valor das propostas é avaliado pela direção da ESACB, sendo esta soberana no processo de decisão sob qual será a mais vantajosa para os interesses do IPCB/ESA.
           
Deve ser referido quais os modelos de pagamento ao IPCB, estando detalhado também os dados da empresa proponente, como contacto, morada, numero de contribuinte, e-mail e certidões de não divida à segurança social e finanças.
 
A ESACB, reserva o direito de recusar propostas que não considere adequadas.

Partilhe