O Júri Regional do Concurso Poliempreende, constituído por Luís Farinha, Vice-Presidente do IPCB, Duarte Rodrigues, em representação da Fundação Santander Portugal, Pedro Dias, em representação da Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa, e Pedro Agapito, em representação da Pedro Agapito Seguros, reuniu nos Serviços Centrais e da Presidência do IPCB para eleição dos três vencedores da 18.ª edição do Concurso Regional Poliempreende.

Nesta fase regional concorreram 11 ideias de negócio, que envolveram 38 participantes, entre alunos e docentes da instituição.

O primeiro prémio, no valor de 2000€, foi atribuído ao projeto “Tijolo ecológico dregs-cimento”, um tijolo que incorpora um agregado da indústria de celulose. Desenvolvido por Cristina Calmeiro, Teresa Albuquerque e Arlindo Cabrito, docentes da Escola Superior de Tecnologia do IPCB, e por Bruno Oliveira, mestre em Engenharia Civil -  especialização em Construção Sustentável, também pela ESTCB-IPCB, este novo produto ecológico composto por dregs, um agregado e cimento, pode ser produzido a baixo custo e com menores emissões de dióxido de carbono (não necessita de queima), com o aproveitamento de dregs, um resíduo de origem celulósica, e diminuição no consumo de solo, permitindo enquadrar a sua produção num conceito de economia circular e de sustentabilidade.

O projeto Projeto "Desinfast", um equipamento médico desenhado para suprir necessidades de desinfeção em ambiente hospitalar, ganhou o segundo prémio, no valor de 1500€. A ideia pretende contribuir para a redução da transmissão das infeções hospitalares e foi apresentada por uma equipa da Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias do IPCB, que incluiu os estudantes Ana Sofia Dias, Carolina Campos, Catarina Ferreira, David Duarte e Leonardo Fonseca e a docente Marisa Barbeira. A desinfeção é garantida pela radiação UV-C, que apresenta grande poder germicida.

O terceiro lugar foi atribuído ao projeto "no mad - Equipamento Transportável", uma linha de mobiliário transportável e que pode ser adquirida em kit. Apresentado por Ana Alice Afonso, estudante da Escola Superior de Artes Aplicadas do IPCB, este equipamento é facilmente montado e desmontado, sem recorrer a colas ou ferramentas, usando apenas encaixes e a força da mão. É disponibilizado através de download do ficheiro vetorial, que permite a autoprodução no local de destino e maquinado num único material, em chapa de derivados de madeira, recorrendo à tecnologia digital CNC. Este sistema de mobiliário visa a sustentabilidade do planeta evitando o transporte de longas distâncias da mercadoria.

O Concurso Poliempreende decorre este ano no âmbito do projeto “Link Me Up - 1000 ideias - Sistema de Apoio à co-criação de inovação, criatividade e empreendedorismo" (POCI-03-33B5-FSE-072070), com o objetivo de promover ecossistemas de inovação e fortalecer a colaboração entre a academia e as empresas através da facilitação de projetos que envolvem equipas multidisciplinares de estudantes, professores e organizações/empresas na resolução conjunta de desafios ou problemas reais dessas entidades.

Este é um projeto em rede que agrega 13 instituições de ensino superior politécnico e diversos parceiros da rede de instituições de ensino profissional, que irá decorrer ao longo de três anos e que tem o apoio financeiro do COMPETE/Portugal 2020.

Partilhe