O Laboratório de Robótica e Equipamentos Inteligentes do Instituto Politécnico de Castelo Branco, realizou a 12.ª edição consecutiva do estágio “Construir Robôs Inteligentes”, com o apoio da Ciência Viva no âmbito do programa “Ocupação Científica de Jovens nas Férias – Ciência Viva no Laboratório”. A edição de 2016 contou com dezasseis participantes, alunos do 10.º ao 12.º ano de escolas secundárias das regiões de Lisboa, Alentejo, Coimbra, Nazaré e Castelo Branco.
A Robótica, a nível nacional e regional tem estado em franco desenvolvimento, especialmente na interligação entre a sociedade em geral e os resultados da investigação e desenvolvimento obtidos, na academia e empresas.
Como área do saber, tem revelado um enorme sucesso na procura, associada aos cursos de engenharia das Instituições do Ensino Superior em Portugal. No IPCB, e no curso de engenharia Industrial, a área da Robótica faz parte integrante do plano curricular.
O objetivo do estágio é o de introduzir a robótica aos alunos do ensino secundário, onde de uma forma integrada são abordados conceitos de mecânica, eletrónica e programação, necessários ao desenvolvimento de robôs. Foram construídos robôs móveis inteligentes, capazes de participar nos campeonatos nacionais de robótica. Para além desta atividade os alunos tiveram oportunidade de interagir com os alunos e investigadores do laboratório, onde puderam ver vários protótipos desenvolvidos: um robô industrial, um dispositivo médico baseado em visão por computador, e ainda aplicações de drones para incêndios florestais.
A semana teve início com os estagiários a montarem os componentes mecânicos e eletrónicos, acompanhados pelo Prof. Paulo Gonçalves, e pelos alunos de Engenharia Industrial Rodolfo Farinha e Bernardo Lourenço. Participaram ainda os investigadores Pan Liu, Ariston Reis, Renato Ferreira e João Gaspar. Após construída a plataforma robótica passaram à “afinação” dos sensores e atuadores, e logo de seguida à programação do robô. Nesta fase, programaram o robô utilizando o Arduíno, uma experiência nova para quase todos. Experiência também completamente nova para todos, foi programar o smartphone, para comandar o robô que construíram. No final da semana todos os robôs funcionavam conforme o pretendido, movimentando-se no laboratório.
Para os alunos, esta foi uma iniciativa de sucesso, tendo alguns destacado o que mais os marcou ao longo do estágio: “O que mais gostei foi conseguir meter um robô a funcionar e conseguir comandá-lo. O trabalho de equipa entre professores, investigadores e nós alunos foi excelente”; “De ter posto um robô a andar”; “Gostei do facto de poder contactar com pessoas e coisas com as quais nunca o tinha feito antes”. Mas nem tudo foi fácil, “por vezes soldar ficava difícil com o calor”, embora alguns alunos tenham ficado com vontade de prolongar a experiência, ”mais tempo de trabalho para conseguirmos aperfeiçoar os nossos robôs com mais sensores”.
Construir robôs requer muito trabalho e perseverança!

Partilhe