Todos os anos, na segunda quarta-feira de novembro, comemoramos o aniversário da Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco. Tem sido nossa tradição celebrar, anualmente, a vida da nossa instituição, fazendo-o sobretudo através de diversos discursos, na presença de elementos da academia e de convidados da comunidade que nos dão alegria com a sua presença.

Este ano, as circunstâncias são, naturalmente, um pouco sombrias. No entanto, cada um de nós pode refletir sobre a importância que tem para a construção constante da verdadeira natureza da ESART. Mais cedo ou mais tarde, estes tempos ficarão para trás e, com festa, poderemos celebrar o nosso engenho e mostrar a nossa força criativa.

Este ano letivo é muito penoso para todos, principalmente para os estudantes - e ainda mais para os que acederam ao ensino superior pela primeira vez. A minha preocupação permanente tem que ver com os estudantes: para que não percam o ânimo, para que, num ano atribulado, possam aproveitar o máximo possível e possam sentir que adiantam no seu percurso pessoal e académico.

No contexto atual, os colaboradores docentes e não docentes têm um desafio especial: além do trabalho habitual, têm de contribuir para que o ambiente quotidiano na ESART seja o mais normal possível. Apesar da ansiedade provocada por estes tempos, vamos mostrar que somos capazes de superar os obstáculos impostos pela pandemia. Os estudantes e as suas famílias devem poder confiar nas nossas ações para promover um ensino de qualidade, num contexto de prevenção da transmissão do novo coronavírus.
Apesar do resultado dos nossos empreendimentos, não posso deixar de lembrar que muito podemos avançar - afinal, a história da Escola Superior de Artes Aplicadas é ainda breve. Nunca devemos deixar de pensar que há sempre algo que se pode melhorar. E neste sentido, estou convencido de que todos vamos continuar a fazer da melhor maneira aquilo que fazemos bem.

O futuro tem uma qualidade essencial, a sua imprevisibilidade. No entanto, em grande medida, a ESART será em cada momento aquilo que cada um quiser; de outro modo, o nosso trabalho seria desprovido de significado. Vamos todos continuar a labutar para que a nossa instituição tenha cada vez mais importância, quer no quadro do ensino do Design e da Música quer na transmissão de conhecimento para a sociedade.
 
A ESART está de parabéns!

José Francisco Pinho
Diretor da Escola Superior de Artes Aplicadas do IPCB

Partilhe